Crescimento das fontes energéticas renováveis no século XXI

Inúmeras atividades realizadas no nosso cotidiano exigem gasto energético, sejam esses gastos calóricos ou em kilowatts. No entanto, desde meados do século XIX o principal recurso energético mundial utilizado é o mesmo (Petróleo), seguido pelo carvão e gás natural.

A principal consequência desse fato é que todos os recursos energéticos citados acima são definidos como combustíveis fósseis, ou seja, possuem como origem de formação a decomposição de organismos vivos. E desse modo, além de serem recursos finitos, são bens que liberam grande quantidade de CO2 e com isso corroboram para alterações climáticas e crises ambientais.

 

Felizmente, desde o final do século XX já existem esforços para investir em novas fontes renováveis. Além disso, inúmeros países como Estados Unidos, China e Alemanha buscam constantemente renovar sua matriz energética. Mas não são apenas países que procuram novas alternativas, diversas empresas estatais e privadas procuram novas opções para custear seu consumo de energia, além de produzirem novos maquinários e equipamentos sob um olhar mais sustentável.

Os principais desenvolvimentos ecológicos que são possíveis de observar na sociedade atual são a produção de carros elétrico, a substituição do diesel para o biodiesel e o avanço de novas fontes energéticas renováveis como a solar e eólica. Tal fato ocorre pois, os carros elétricos não emitem gases poluentes e o biodiesel é menos prejudicial ao meio ambiente se comparado ao diesel e para o caso do Brasil é mais vantajoso, posto que o país é detentor de vasta variedade de plantas que podem servir como matéria-prima.

Entretanto, a principal aposta observada ao longo do século XXI para um desenvolvimento econômico menos agressivo é o avanço das energias renováveis. Porque, podem se regenerar em curtos espaços de tempo, além de possuírem bom custo-benefício contribuem principalmente para diminuir a dependência dos recursos finitos e, dessa forma, poupar o patrimônio terrestre para gerações futuras.

Além disso, é válido salientar que a energia solar tem se mostrado a melhor opção no setor sustentável, segundo o relatório anual de Status Global de Renováveis, o mundo desenvolveu em sua matriz energética cerca de 200 Gigawatts em energias renováveis (GW) em 2020. Dentre esses 200 GW, cerca de 115 GW foram contribuídos pela energia fotovoltaica (57%).

Assim, o mundo vem passando por avanços tecnológicos e tem sofrido transformações políticas e ambientais, é inegável que o desenvolvimento ecológico é imprescindível para uma segurança econômica e ética de todo o planeta. Portanto, algumas empresas e países tem se movido para modificar toda sua estrutura energética através de leis e marketing que demonstre seu interesse em investir nas práticas que beneficiem a causa verde, porém também cabe a nós cobrar mais incentivos fiscais e, sobretudo, apoiar a nova maneira de produzir energia do século XXI.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Scroll to top